Casa do Nutriente - Produtos naturais, suplementos alimentares e lanches saudáveis - Porto Alegre / RS
   

DICA DA ENDOCRINOLOGISTA MARCELA FERRÃO

Suplementos Alimentares: quando utilizar

1. O que são suplementos alimentares e quando são indicados?
O conceito de suplementos alimentares começou a ser desenvolvido há cerca de cem anos quando Gowland Hopkins descreveu fatores alimentares acessórios como necessários ao crescimento e que deveriam ser adicionados ao que era considerado vital para se evitar algumas doenças. Atualmente, os suplementos são definidos como produtos usados com o propósito de suplementar a dieta normal.
Estão indicados quando há carência alimentar ou aumento da demanda de energia e/ou de macro/micronutrientes.

2. Quais são os principais tipos usados?
No Brasil, segundo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) os suplementos podem ser:
1) Suplementos vitamínicos e ou minerais
São os alimentos, compostos exclusivamente por nutrientes vitamínicos e/ou minerais, que servem para complementar a dieta diária de uma pessoa saudável, em casos em que sua ingestão a partir da alimentação, seja insuficiente ou quando a dieta requiser algum suplemento. Devem conter um mínimo de 25%, e no máximo até 100% da Ingestão Diária Recomendada (IDR) de vitaminas e/ou minerais, não podendo substituir os alimentos nem serem considerados dieta exclusiva.
2) Alimentos para atletas
Os alimentos formulados para auxiliar os atletas a atender suas necessidades nutricionais específicas e auxiliar no desempenho do exercício também são denominados suplementos e podem ser classificados, de acordo com a finalidade a que se destinam, em:
- suplemento hidroeletrolítico para atletas;
- suplemento energético para atletas;
- suplemento protéico para atletas (whey protein, caseína, blends proteicos, BCAA, creatina, aminoácidos em geral);
- suplemento para substituição parcial de refeições de atletas;
- suplemento de creatina para atletas E
- suplemento de cafeína para atletas.
3) Novos alimentos
São os alimentos ou substâncias sem histórico de consumo no País, ou alimentos com substâncias que já são consumidas, que, entretanto, venham a ser adicionadas ou utilizadas em níveis muito superiores aos atualmente observados nos alimentos utilizados na dieta regular. Alguns exemplos de novos alimentos são:
- Alimento consumido por pequeno grupo de indivíduos ou durante curtos períodos de tempo, por exemplo, a palma forrageira consumida em períodos de seca;
- Ingrediente obtido por síntese ou a partir de fontes alimentares, cuja adição em alimentos resulte em aumento do seu consumo, por exemplo: ômega 3 proveniente do óleo de peixe, resveratrol sintético ou extraído da uva, licopeno sintético ou extraído de tomate e fitoesteróis de óleos vegetais.
4) Alimentos com alegação de propriedade funcional e ou de saúde
São os alimentos que apresentam em seus dizeres de rotulagem e/ o material publicitário a alegação de propriedade funcional relativa ao papel metabólico ou fisiológico que o nutriente ou não nutriente tem no crescimento, desenvolvimento, manutenção e outras funções normais do organismo humano, ou alegação de saúde, aquela que afirma, sugere ou implica a existência da relação entre o alimento ou ingrediente com doença ou condição relacionada à saúde.
3. Para que servem os suplementos?
Os suplementos servem para complementar a dieta. Importante não confundir suplementos alimentares com alimento. Um suplemento dietético é um produto tomado por via oral, que se destina a complementar a dieta e que contém um ou mais "ingredientes alimentares”. Os suplementos dietéticos devem ser rotulados como tal e não devem ser representados para o uso como um alimento convencional ou como o único ponto de uma refeição ou a dieta.

4. O público que procura auxílio de suplementação costuma estar relacionado ao bem estar físico e motivos estéticos. De que forma esses recursos podem ajudar? Quais são os benefícios?
Aos atletas os suplementos podem fornecer nutrientes necessários às demandas elevadas pelo esporte. Bebidas, barras, refeições líquidas e suplementos de micronutrientes fazem parte de um plano alimentar prescrito para auxiliá-los a atingir suas necessidades especiais e em situações em que a alimentação habitual não consegue suprir.
O Whey Protein um dos principais suplementos utilizados pelos praticantes de academia, devido teor do aminoácido leucina, juntamente com sua rápida absorção, faz dessa proteína, um importante fator nutricional durante a perda de peso. A retenção de massa muscular durante emagrecimento pode estar relacionada com a capacidade da leucina de estimular a síntese proteica no músculo.
As proteínas do soro também modulam vários hormônios que influenciam a composição corporal. Kasim-Karakas et al. (2007) avaliaram a resposta hormonal (de 5 horas) em mulheres com sobrepeso e obesidade com síndrome de ovários policísticos após uma dose de whey isolada. A resposta hormonal imediata mostrou redução significativa da concentração sérica de insulina (que favorece menor síntese de gordura), do cortisol (preservação da massa magra) e aumento da liberação de grelina (maior saciedade).
Além das proteínas presentes no soro, os laticínios contêm cálcio que auxilia na redução da gordura corporal. O aumento de cálcio na dieta diminui a massa gorda e melhora a composição corporal em vários estudos. Dois mecanismos diferentes têm sido sugeridos: o primeiro é a formação de sabões de cálcio na luz intestinal e diminuição da absorção de gordura; e o segundo mecanismo é de ação hormonal indireta, que aumenta a lipólise nos adipócitos. Além desses benefícios o cálcio dos produtos lácteos pode diminuir a reabsorção óssea durante a perda de peso, proporcionando ossos mais fortes e redução potencial de fraturas particularmente em mulheres com mais de 65 anos.
O cálcio e outros minerais presentes no leite estão associados com a diminuição de morbidades como a obesidade e a hipertensão arterial. Vale lembrar que a absorção de cálcio a nível intestinal é dependente em aproximadamente 70% da vitamina D, a qual é produzida na pele após exposição solar e apresenta-se em porções não significativas nos alimentos. Logo, se os níveis de vitamina D3 séricos estiverem abaixo da normalidade, esta deve ser suplementada.
Frestedt et al. (2008) avaliaram obesos com dieta de restrição de 500kcal/dia durante 12 semanas. Eles ingeriram whey protein ou equivalente isocalórico 20 min antes do café da manhã e 20min antes do jantar. A composição corporal foi avaliada no início e ao término do estudo. A ingestão de whey protein resultou na redução de gordura e preservação da massa magra corporal quando comparada à bebida controle. Foi observado redução de 6% de massa adiposa no grupo que recebeu whey protein. Este efeito é importante pois sabe-se que a redução de 5% da gordura corporal está relacionada com diminuição dos riscos relacionados à obesidade.


5. Existem riscos no uso desses elementos? Quais?
Os riscos do uso dos suplementos estão associados ao uso indiscriminado e sem acompanhamento de um especialista na área. Em geral, são decorrentes de superdosagens, causando sobrecarga ao organismo (renal e hepática, por exemplo), intoxicações por hipervitaminoses e aumento de massa gorda, entre outros. Quando falamos em aminoácidos, o consumo total de proteínas (alimento+suplemento) deve obedecer ao limite diário máximo de aproveitamento deste nutriente pelo organismo que, mesmo para indivíduos com grande massa muscular, geralmente não ultrapassa 2 gramas por quilo de massa corporal por dia, estando ao redor de 140g dia para um indivíduo de 70kg. O consumo excessivo de proteína alimentar pode causar danos renais. Os rins eliminam os produtos do metabolismo da proteína e o consumo elevado de proteína alimentar pode causar danos renais. Os rins eliminam os produtos do metabolismo da proteína e o consumo elevado de proteínas pode aumentar a taxa de filtração glomerular, causando aumento da pressão dentro dos glomérulos, prejudicando a função renal progressivamente. Além disso não podemos descartar a sobrecarga do fígado, por ser o órgão responsável pela metabolização de aminoácidos. Pacientes com algum prejuízo orgânico prévio podem ter sua patologia agravada.

6. Cada tipo de suplemento tem uma função e uma dosagem. Quais os riscos de misturar os suplementos sem indicação médica?
Todo suplemento tem uma determinada indicação, dosagem (dose nutroterápica) e necessidade de correlação ou não do horário da administração com determinado alimento e/ou exercício físico (timing). Quando há o uso concomitante de determinados suplementos, pode haver a redução de efeito de algum deles, caso haja essa interação negativa, como é o caso da cafeína que, por motivos não totalmente elucidados, inibe a captação muscular de creatina. Além das superdosagens e suas consequências citadas anteriormente.

7. De que forma suplementos podem ser benéficos para a saúde? E de que forma podem ser prejudiciais?
Os suplementos proteicos podem ser uma fonte de ingestão proteica livre de gordura. Existe evidência científica do benefício do seu uso não apenas associada à prática esportiva, mas também em idosos no combate à sarcopenia (redução significativa de massa muscular), pacientes com doenças crônicas e imunodeficiências, como câncer e SIDA. No estudo de Pennings et al. (2011), elevada taxa de síntese proteica foi observada em idosos após ingestão de whey protein. A massa magra corporal é um tecido altamente ativo, que consome muitas calorias para sua manutenção, favorecendo a redução da gordura corporal.
O limiar entre os benefícios e os malefícios à saúde é estreito, uma vez que seus efeitos são dose, horário e indicação-dependentes.
A Anvisa, por sua vez, informa que todos os produtos comercializados legalmente passam por uma avaliação de segurança e são registrados pelo órgão. Não estão em situação regular os complexos que prometem acelerar o metabolismo, melhorar a elasticidade da pele e curar doença, entre outros efeitos “milagrosos”.


8. Qual a sua opinião profissional a respeito do uso de suplementos?
Existem evidências na literatura que garantem respaldo ao uso de suplementos alimentares, trazendo benefícios importantes quando bem indicados. Especialmente no meu foco de atuação, emagrecimento e ganho de massa magra, os suplementos têm papel importante na síntese proteica e aumento do metabolismo basal, claro, quando associados a uma alimentação adequada e à prática esportiva regular (em especial, o treino de musculação). Para que os efeitos danosos de uma superdosagem ou má utilização destes compostos sejam evitados, faz-se essencial a avaliação médica completa previamente e o acompanhamento com um profissional especialista nesta área.

9. Você gostaria de fazer algum outro comentário sobre o assunto?
Apesar de muito citados nos sites de conteúdo “fitness”, o uso de hormônios não é considerado uma suplementação alimentar. Visto que eles são vendidos apenas sob prescrição médica controlada. São motivos de doping e podem causar repercussões danosas à saúde, principalmente devido a alterações dos eixos hormonais.

 

DICA DA NUTRICIONISTA GRAZIELA PARISOTTO

DICA DA NUTRICIONISTA GIOVANNA BARCELOS

DICA DA NUTRICIONISTA MARCELE POLICARPO

DICA DA NUTRICIONISTA VANESSA LEITE

DICA DA NUTRICIONISTA FERNANDA R. DA LUZ

DICA DA NUTRICIONISTA ADRIANE RODRIGUEZ

DICA DO EDUCADOR FÍSICO ANDRÉ COSTA

DICA DA NUTRICIONISTA VICTORIA M.J. DE SÁ MARTINS

REGULAMENTO CONCURSO CULTURAL MINHA RECEITA FIT

DICA DA NUTRICIONISTA GEÓRGIA BACHI

DICAS DE HIDRATAÇÃO

CONSUMA MAIS IOGURTE

ALIMENTOS QUE AJUDAM A REDUZIR A CELULITE

ORIENTAÇÕES PARA REDUZIR O COLESTEROL

EVITE O CONSUMO DE REFRIGERANTES

     


 

Rua Comendador Caminha, 338, Moinhos de Vento, Porto Alegre (RS)
Fone: (51) 3209-5086

Av. Nilo Peçanha, 59, Petrópolis, Porto Alegre (RS)
Fone: (51) 3517-5506

Casa do Nutriente, 2018
Todos os direitos reservados.